sexta-feira, 7 de agosto de 2009

benção

Se não há tinta, que ao menos mandem a saliva, espero. Não me sai nada, e no entanto sinto muito. Não posso largar o ofício. Modéstia minha, mas quem escreve sabe, ou crê, que o tal anjo que aparece no nascimento fica como padrinho, volta sempre. Ser gauche já é opcional. Sempre que este funcionário divino vem, entrego-lhe as mãos, só crio quando ele não vem, uma porção de teoria explicativa com tentativa de base científica.
No momento ando pensando sobre a crise. Devo ter me endividado no mês passado; el cambio español me está cobrando os juros, e posso dizer, me enganaram, gastei com vontade. E não fui só eu, o pessoal tá dando calote e escrevendo mesmo assim, se tornou um problema celestial, capaz até do anjo ter sido demitido.

6 comentários:

Cosmunicando disse...

o anjo segura a onda... a poética e a financeira rsrs
eu tenho um anjo "abraçador" :))

omnia in uno disse...

anjo demitido, ai ai ai, é um perigo!
que escrita endiabrada não sairia...

engraçado quando vc diz: "entrego-lhes as mãos", imagino o anjo a dizer "you are under arrest, young lady"

deu o que pensar, viu?!

Sabrina disse...

hahaha, boa: you are under arrest, young lady! e me leva pro xilindró! minha máxima culpa seu anjo, me responsabilizo pela crise poética
dez ave marias e cinco pai-nossos, quem sabe volta inspiração !!!

claire disse...

ahahaha. muito bom. "o pessoal tá dando calote e escrevendo mesmo assim" foi surpreendente. vai ver meu anjo foi demitido tb.

Ilana Reznik disse...

adorei. ouvi o texto inteiro na sua voz, acredita?
beijos!

bianca disse...

tambem gostei.
arroz maluco :) quando em crise, poetica, existencial, financeira ou celestial...