domingo, 16 de janeiro de 2011

o dia

As galinhas com o susto abrem o bico
e param daquele jeito imóvel
- ia dizer imoral-,
as barbelas e as cristas envermelhadas,
só as artérias palpitando no pescoço.
Uma mulher espantada com o sexo:
mas gostando muito.

*Adélia Prado

2 comentários:

MOISÉS POETA disse...

adélia , sempre otima !

abraços !

Ramon Alcântara disse...

o poeta estranha o ordinário...